MMSocial
A+ A A-

João Gonçalves

João Miguel Gonçalves - Tenor

Licenciado em Canto Teatral pelo Conservatório Superior de Música de Gaia, na classe da Professora Fernanda Correia, com quem continua a trabalhar. Frequentou master-classes orientados por Hilde Zadek, Laura Sarti e Luiz Giron May, tendo aprofundado interpretação de lied e oratória com Charles Spencer. Trabalha regularmente com Enza Ferrari, Marc Tardue e Paulo Ferreira.

Como solista, tem-se apresentado em Portugal e no estrangeiro interpretando lied, oratória e ópera. No domínio da oratória interpretou: Requiem,Missa da Coroação e Missa brevis em Sol Maior (K140) de Mozart, Missa das Catedrais de Gounod, Magnificat e cantata Nun Komm, der Heiden Heiland (BWV 61) de Bach, Missa Solene em Ré Maior de Dvorák, Requiem de Donizetti, Messias de Händel, Missa Crioula e Navidad Nuestra de Ariel Ramirez, Missa Luba de Guido Haazen, e Cantata Mártir S. Sebastião de Ferreira dos Santos.

Ópera

No campo da ópera interpretou: 2º Sacerdote e Guardião do Templo na ópera A Flauta Mágica de Mozart, Marinheiro na ópera Dido e Aeneas, de Purcell, D. Curzio na ópera As Bodas de Fígaro, de Mozart, Rei Gaspar e Pagem na ópera Amahl e os visitantes da noite, de Gian-Carlo Menotti, Le Petit Vieillard (Arithmétique) e La Rainette, na ópera L’Enfant et les Sortilèges, de Maurice Ravel, Gato na ópera O Gato das Botas, de Monsalvage, Tamino na ópera A Flauta Mágica de Mozart, Ruiz na ópera Il Trovatore, Remendado na ópera Carmen, de Bizet (estas duas últimas no Coliseu do Porto numa co-produção do Círculo Portuense de Ópera), Conde Camille de Rossion na opereta A Viúva Alegre, de Franz Lehar, e Professor de Música na ópera A Floresta, de Eurico Carrapatoso. Interpretou ainda, o solo para tenor da obra de Carl Örff, Carmína Burana.

Trabalhou sobre a direção musical dos Maestros Claudio Gallina (Itália), Lawrence Golan (EUA), Jiri Malát (República Checa), Robert William Hix (Inglaterra), Jose Miramontes Zapata (México), Johannes Willig (Alemanha), Marc Tardue, Manuel Ivo Cruz, Mário Mateus, Ferreira dos Santos, António Sérgio Ferreira, Rui Massena, Filipe Veríssimo, Artur Pinho, Jairo Grossi, Sílvio Cortez e Rui Rodrigues.

Venceu, no âmbito do Concurso “Viva Verdi” – 19º Festival Internacional de Música de Gaia 2012 - o Prémio Fernanda Correia.

Estreia da All' Opera em Portugal

All' OperaDepois do enorme sucesso alcançado em Maputo, a all'Opera - companhia itinerante - fará a sua estreia em Portugal a 13 de Setembro, no Museu Nogueira da Silva, às 19:30 com a ópera ‘Rita’ de Donizetti. A encenação estará a cargo do reconhecido actor e encenador António Durães.

O espectáculo está integrado na programação da 'Noite Branca' de Braga, e tem o apoio da Fundação Bracara Augusta. Esta divertida ópera conta a história de Rita, a dona de uma pensão - casada em segundas núpcias com Beppe - que vê a sua vida complicar-se quando o seu 1º marido (que ela acreditava estar morto) se instala na pensão. Mas nenhum dos dois ‘maridos’ parece interessado em ficar com a mulher… É uma obra muito divertida que fará as delícias do público de qualquer idade.

O elenco será composto por:
Sara Braga Simões, Rita
Mário João Alves, Beppe
Job Tomé, Gasparo
Ángel González, piano

All' Opera é companhia de ópera itinerante que tem por objectivo responder ao crescente apelo do público pelo género operático. O nome 'all'Opera' - expressão italiana que significa 'ao trabalho' - espelha a enorme vontade de alterar e dinamizar o panorama português da ópera.

A companhia pretende:

- democratizar o espectáculo da ópera, levando produções a novos públicos e locais tradicionalmente não associados a este tipo de espectáculo;
- contribuir para a dinamização da actividade operática em Portugal;
- contribuir para a formação de um público mais exigente;
- afirmar a ópera como um espectáculo popular e não elitista.

Com estes objectivos em vista, juntou-se um grupo de cantores líricos com provas dadas internacionalmente e reconhecidos como grandes valores do panorama actual da música clássica em Portugal:

Sara Braga Simões (soprano)
Mário João Alves (tenor)
Job Tomé (barítono)

A estes junta-se a experiência e arte de Ángel González, como pianista acompanhador.

António Pinho Vargas

António Pinho Vargas

Compositor, músico, ensaísta, António Pinho Vargas licenciou-se em História, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Completou o curso Superior de Piano no Conservatório do Porto e mais tarde obteve o Mestrado de Composição no Conservatório de Roterdão na Holanda, onde foi bolseiro pela Fundação Calouste Gulbenkian. É professor de composição na Escola Superior de Música de Lisboa desde 1991 e investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Completou o seu doutoramento em Sociologia da Cultura na Universidade de Coimbra em 2010. com uma tese intitulada Música e Poder: para uma sociologia da ausência da música portuguesa no contexto europeu.

Foi membro do conselho de fundadores da Casa da Música, e entre 1998 e 2001, foi membro do Conselho Consultivo do Porto 2001 - Capital Europeia da Cultura.

 

 

Discografia      
Gravou 9 discos de jazz como pianista/compositor incluindo os dois CDs duplos Solo (2008) e Solo II (2009) em piano solo. Foram já editados 4 discos monográficos com algumas das suas obras. Destacou-se como compositor clássico, sendo autor de 4 óperas, 2 oratórias, 9 peças para orquestra, 8 obras para ensemble, 18 obras de câmara, 7 obras para solistas e música para 5 filmes. Foi condecorado com a comenda da Ordem do Infante D. Henrique em 1995.
Ópera
Podem destacar-se as óperas Édipo, Tragédia de Saber (1996) Os Dias Levantados (1998) e Outro Fim (2008) os quartetos de cordas Monodia, quasi un Requiem (1993) e Movimentos do subsolo (2008), as obras para orquestra Acting Out (1998), A Impaciência de Mahler (2000), Graffiti [just forms] (2006), Six Portraits of Pain, para violoncelo solo e ensemble (2005) Um Discurso de Thomas Bernhard, para narrador e orquestra (2007) e a Suite para violoncelo solo (2008). Em 2011 estreou a obra sinfónica Onze Cartas para orquestra, três narradores (pré-gravados) e eletrónica e, em 2012, o Quarteto de Cordas nº3, Ouvertures and Closures, para orquestra e Requiem para Coro e Orquestra encomenda da Fundação Calouste Gulbenkian.

Livros

Publicou os livros Sobre Música: ensaios, textos e entrevistas (Afrontamento, 2002) e Cinco Conferências sobre a História da Música do Século XX (Culturgest, 2008) e, em 2011, o livro Música e Poder: para uma sociologia da ausência da música portuguesa no contexto europeu. (CES/Almedina).


Artigos

Participou em comunicações e encontros científicos e tem alguns artigos publicados em revistas científicas e actas de eventos.


Prémios

Recebeu em 2012 o Prémio Universidade de Coimbra, pela sua contribuição para a música contemporânea portuguesa e o Prémio José Afonso pelo disco Solo II.



Ligações:

URL: www.antoniopinhovargas.com

Dança dos Pássaros

Tom Waits

 

 

 

Sofia Sarmento

Sofia SarmentoSofia Sarmento é uma jovem pianista portuguesa.

Atualmente encontra-se a realizar uma pós-graduação em performance (Artist Diploma), em Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance, na Universidade de Greenwich/ Londres, onde estuda com Margaret Fingerhut. Os seus estudos são apoiados por uma bolsa concedida por Trinity Laban Post-Graduate Bursary Fund, e Henry-Wood House Bursary Fund.

Em Portugal, iniciou os estudos musicais em 1998, sob orientação da Professora Elisa Lessa, na Companhia da Música – Braga. Em 1999 ingressou no Centro de Cultura Musical (CCM), onde realizou o curso básico e complementar de instrumento na classe do Professor José Alexandre Reis, tendo sido premiada nos dois cursos como melhor aluna. Realizou a Licenciatura em Música e o Mestrado em Ensino de Música na Universidade de Aveiro – Departamento de Comunicação e Arte, na classe de piano do Professor Fausto Neves.

Ao longo da sua formação académica frequentou cursos de aperfeiçoamento instrumental com os professores: Álvaro Teixeira Lopes, Constantin Sandu, Joel Bello Soares, Luiz de Moura Castro, Luís Pipa, Miguel Borges Coelho, Rudolfo Rubino, Tsiala Kvernadze, Vlad Dimulescu, Andrew Ball, Pawel Mazurkiewicz, Josep Colom, Pascal Nemirovsky, Martino Tirimo. Em música de câmara ampliou a sua formação com Deniz Gellenbe, Helen York, David Kennedy, Eugene Asti, Robert Aldwinckle, entre outros.

Como pianista integrou o elenco do filme “O Espelho Mágico”, de Manoel de Oliveira.

Foi solista com a Orquestra ARTAVE sob a direção do maestro Luís Machado.

Executou a obra “O Bailador de Fandango” quando lançada editorialmente pelo Departamento de Música da Universidade do Minho. Estreou obras para piano solo de Declan Kolakowsky (UK) e para piano em conjunto de Paulo Bastos (PT).

Frequentou, como aluna participante e bolseira, os festivais internacionais de música “British Isles Music Festival”, em West Sussex – Inglaterra, e “Música em Compostela”, em Santiago de Compostela – Espanha.

Apresentou-se em concerto a solo e em ensemble, em Portugal, Espanha, Inglaterra e Malta, em salas como Teatro do Circo (Braga), Great Hall – Blackheath Halls (Londres), Hostal de Los Reyes Católicos (Santiago).

Os seus projetos futuros consistem na prossecução de estudos no âmbito da performance, a participação em projetos multidisciplinares no Reino Unido, e a gravação do seu trabalho no âmbito da pós-graduação que realiza.

Apoios Bobina Studio

Facebook Música e Músicos
Canal Youtube - Música e Músicos