MMSocial
A+ A A-

The Casino Royal

The Casino RoyalThe Casino Royal

Imagine-se nos jardins de um qualquer casino no mundo, em plena noite quente de Verão, onde a luz da lua e do jogo se misturam… um personagem num guião semelhante ao de um dos vários filmes de James Bond… ao fundo, ouve-se uma orquestra e o groove de sons combinados com uma clara e extraordinária voz feminina… irreverente, sexy ou melancólica a verdade é que se sente transportado para Hollywood nos anos 50s e 60s. Essa requintada e perfeita banda sonora tem um nome – “The Casino Royal”.

A música de "The Casino Royal", é uma mistura de fado, ritmos electrónicos e humores, servidos “à la James Bond”.

“Life is waiting for you” é o terceiro álbum desta reconhecidas banda nacional e além-fronteiras.

“Life is waiting for you” o primeiro single deste álbum, começa com um riff de piano. A convidada especial é Sílvia Rizzo, à qual se junta o Coimbra Gospel Choir no refrão, enfatizando o caracter festivo de um tema cuja missão é a celebração da vida!! A bridge enfatiza o lado mais cinematográfico e faz a ponte com a matriz dos TCR - Spy Sound à lá John Barry…

Segue-se My Guys You And I” com o seu refrão onde os ditongos Bum Bum Bum... nos remetem para os balões de banda desenhada quando alguma personagem resolve usar uma pistola…

Casino RoyalMas chegou o momento de preservar o mistério de um álbum há muito esperado, que será lançado em Portugal com o apoio da Antena 1.

A banda composta por Pedro Janela (composição, produção, teclado), Mafalda Portela (voz), Mauro Ribeiro (guitarra), Ricardo Ribeiro (percussão) e Miguel Duarte (baixo), é influenciada fortemente pelo " Easy-Listening " e pode a partir de dia 13 de Outubro ser ouvida na Antena 1.

Podemos desde já garantir-lhe, que nunca se sentiu um personagem de “um filme” assim!

Antena 1

Ligações:Paula Cordeiro  Up Music Talents

 The Casino Royal Showcase

 www.facebook.com/TheCasinoRoyalBand

Arrefole

Os Arrefole – Folk progressivo português, são um grupo português que procura interpretar a música representativa do povo, vendo-a como fundamental para a compreensão da realidade do nosso tempo.

“Oriundos de um meio urbano, tentam recriar uma experiência sonora que tenha a ruralidade como pano de fundo.(...) Encravados no eterno conflito entre tradição e modernidade, entre um tempo que insistem ainda não ter passado, e outro, que estão seguros que já chegou, tocam o que a sensibilidade e a circunstância de um povo lhes transmite...” 

Embora o nome e a banda Arrefole exista desde 2000, em jeito de laboratório de experiências sonoras no universo da música tradicional, o projecto Folk, surge e desabrocha verdadeiramente em 2006 com o lançamento do primeiro trabalho discográfico – o álbum “Veículo Climatizado”, editado em CD, resulta com um vincado carácter concetual, embora nascido do manancial de temas tradicionais tocados ao vivo em concertos por todo o País (Portugal Continental e Ilhas), nas vizinhas Galiza e Castela (Espanha) e na Alemanha, onde cativam o público com a sua energia e a alegria das suas músicas. Traduz-se num ponto de viragem, em que se pretende transformar um conjunto de boas ideias num projeto sério e duradouro.

Álbum

Este álbum “Veículo Climatizado”, foi distinguido como o Melhor Álbum Revelação de 2006 segundo o programa “Sopa de Pedra” da Rádio Universitária do Algarve.

Renascidos em 2009, respondendo a um público fiel que segue o seu trabalho com curiosidade e entusiasmo, encontram-se presentemente em pré-produção do 2º trabalho, que desejam mais maduro e prometem mais arrojado ainda.

Formação
 

Daniel Pereira

(Cavaquinho, Bandolim, Braguesa, Guitarra)

Gonçalo Cruz

(Gaitas de Fole europeias, whistles e flautas)

João Conceição

(Percussões)

Nuno Flores

(Guitarra e Bouzouki)

Raquel Ferreira

(Voz)

Ligações

Arrefole  – Viva quem toca o pandeiro

Arrefole  – Marinheiro

Arrefole  – Metromeno

Grupo Recreativo e Musical - Banda de Famalicão

A Banda de Famalicão foi a vencedora do 1º Concurso de Bandas Filarmónicas do Distrito de Braga.

O respetivo maestro, o Maestro Fernando Marinho, foi também, o vencedor da Batuta de Prata

Na sua história, a Banda de Famalicão acaba por ter mais de um século de existência. Inicialmente denominava-se Banda da Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, continuada, após um interregno de alguns anos, pela Banda do "Zé da Costa", destacada figura da Banda dos Bombeiros.

Entre 1919 e 1937 houve uma interrupção na sua actividade devido a problemas políticos (republicanos/monárquicos), mas no ano de 1937 foi organizado o Grupo Recreativo e Musical de Famalicão, fundado pelo juiz do ultramar Rodolfo Manuel de Magalhães Aguiar, Adolfo Pereira de Lima, José Maria Portela e Armando da Purificação Caldeira Martins.

A Banda do Grupo Recreativo e Musical, teve o seu primeiro concerto em 9 de junho de 1938 e, em 11 de fevereiro de 1940 foi eleita a sua primeira direcção, sob a presidência de António Sampaio Carvalho.

Não se fizeram tardar as rivalidades e, do diferendo entre António Sampaio Carvalho e Adolfo Pereira de Lima, resultaram duas Bandas: a Banda Velha e a Banda Nova.

Em 23 de setembro de 1951, a Banda de Famalicão do Grupo Recreativo e Musical, faria a sua primeira apresentação pública sob a regência de António Augusto Correia.

Por ela, passaram os Maestros Manuel Afonso da Cunha, António da Silva Esperança, Emídio da Silva Pereira e José Moreira Borges.

Em 1973, graças ao subsídio da Fundação Cupertino de Miranda, foi possível adquirir novos instrumentos, aumentando desta forma o seu nível e qualidade musical, tendo a banda, ganho nesse ano o Festival de Aniversário do Jornal "Comércio do Porto", onde participaram 18 Bandas Filarmónicas.

Sob a regência de José Moreira Borges, em 1980 gravou o seu primeiro disco (LP) "Famalicão em Frente", e o segundo em 1982 "Famalicão Sempre em Festa", gravando em 1996 o seu primeiro CD "Famalicão a Cantar".

Em Maio de 1988, por altura da celebração das Bodas de Ouro, foi distinguida pelo Município com a "Medalha de Ouro".

Em 1989 organizou um Festival de Bandas Civis e Militares e, nesse mesmo ano, a Banda transferiu-se para a sua sede atual onde apostou na organização da sua Escola de Música sob a orientação do Professor António Conceição permitindo assim a formação de novos executantes para a Banda vindo também a resultar a criação da Orquestra Ligeira "Alla Breve".

Em outubro de 2005, passa a ser dirigida pelo atual maestro Fernando Marinho, que veio trazer à banda uma forma diferente de execução... mais moderna e arrojada... permitindo inclusive que em outubro de 2007 a Banda de Famalicão tivesse o privilégio de ser das primeiras Bandas Filarmónicas a pisar o palco da sala Guilhermina Suggia da Casa da Música do Porto. Em dezembro de 2006, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, a Banda de Famalicão grava o seu segundo CD intitulado "Filarmonias".

Maestro


Fernando Marinho

Natural de Amarante, onde iniciou os seus estudos musicais, é diplomado com os cursos de flauta do Conservatório de Música do Porto, licenciado pela Escola Superior de Música de Lisboa e mestrado pela Academia Nacional Superior de Orquestra.

Licenciado em Ensino Básico, foi bolseiro do Programa Erasmus ao abrigo do qual estudou pedagogia musical na Paedagogische Akademie der Dioseze Linz (Áustria). Paralelamente, frequentou aulas como aluno externo no BrucknerKonservatorium Linz.

Como flautista desenvolve uma actividade intensa, como solista ou em orquestra, tendo tocado com a Orquestra Gulbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra do Algarve, Orquestra do Norte, Remix Ensemble, Orchestre d'Harmonie de Jeunes de l'Union Européenne, entre muitas outras, e foi solista da Banda Sinfónica da P.S.P. Teve oportunidade de trabalhar com reputados maestros, entre os quais Esa-Pekka Salonen, Lawrence Foster, Simone Young, Paavo Jarvi e Peter Rundel.

 Apresentou-se várias vezes a solo com orquestra e foi laureado em concursos a nível nacional e internacional.

Estuda Direcção de Orquestra com Jean-Marc Burfin, em Lisboa, e estudou, durante três anos, com o Maestro Jan Cober, na Zuid-Nederlandse Hogeschool voor Muziek – Conservatorium Maastricht (Holanda), onde se diplomou com o Mestrado em Direção.

Frequentou masterclasses de direcção com Jean-Sebastien Béreau, Douglas Bostock, Roberto Montenegro, José Rafael Pascual-Vilaplana, Baldur Bronniman, Eugene Migliaro Corporon e Ernst Schelle, entre muitos outros.

Entre 2009 e 2013 foi professor do Conservatório de Música do Porto, onde desempenhou as funções de maestro e foi responsável pela reestruturação das Orquestras, nomeadamente a criação das Orquestras Juvenis e do Grupo de Música Contemporânea do Conservatório de Música do Porto.

Atualmente é professor da Escola de Música do Conservatório Nacional, onde é maestro do Atelier Musical, da Orquestra Jovem e da Orquestra de Sopros do Conservatório Nacional. Lecciona na Academia de Música de Santa Cecília desde 2003 e é professor assistente convidado na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto.

Dirigiu, como maestro convidado ou integrado em masterclasses, a Orquestra do Norte, Orquestra de Câmara de Sintra, Orquestra do Algarve, Orquestra Filarmonia das Beiras, Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra da Academia de Música de Santa Cecília, Banda de Música Cultural de Salceda de Caselas (Espanha), Symphonisches Blasorchester Muzikkorps der Bundeswehr (Alemanha).

É, desde outubro de 2005, maestro do Grupo Recreativo e Musical – Banda de Famalicão.

 

Contactos:

Avenida 25 de Abril, n.º 158 | 4760-134 VILA NOVA DE FAMALICÃO

Telef./Fax: 252 373 724 |Telem.: 917 529 676 | 912 046 975

E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | Sítio na Web: www.facebook.com/bandadefamalicao | www.bandadefamalicao.pt

 

 

Galandum Galundaina

Galandum Galundaina é um grupo de música tradicional, criado com o objetivo de recolher, investigar e divulgar o património musical, as danças e a língua das terras de Miranda do Douro, Portugal.

Com quase 20 anos de existência desenvolve vários trabalhos. Para além da edição de três discos e um DVD ao vivo, é também da sua responsabilidade o renascimento e novo interesse pela música tradicional da sua terra; a padronização da gaita-de-foles mirandesa; organização e apoio técnico de vários festivais e outros eventos. Ao longo dos últimos anos, elementos do grupo interessaram-se pela construção de instrumentos musicais de raíz tradicional e atualmente grande parte dos instrumentos usados em concerto são da sua autoria.

Os álbuns editados têm tido uma excelente apreciação pela crítica especializada. Em 2010 para além da atribuição do Prémio Megafone, o álbum Senhor Galandum foi reconhecido pelos jornais Público e Blitz como um dos dez melhores álbuns nacionais.

Do roteiro do grupo fazem parte alguns dos mais importantes festivais de música tradicional/”world music” em Portugal, Espanha, França, Itália, Bélgica, Alemanha, Cuba, Cabo Verde, Brasil, México e Malásia.

 

2001: L Purmeiro 

2005: Modas i Anzonas

2006: Galandum Galundaina ao vivo (DVD)

2010: Senhor Galandum 

Ligações

URL: galandum.co.pt

 Galandum Galundaina - Nós tenemos muitos nabos

 Galandum Galundaina - Fraile Cornudo

Galandum Galundaina - A excelência da modernidade enraizada, por Mário Correia

Apoios Bobina Studio

Facebook Música e Músicos
Canal Youtube - Música e Músicos