MMSocial
A+ A A-

Dança dos Homens

Oriundo de Braga, “Dança dos Homens” é uma banda Folk, que interpreta temas tradicionais de recolhas com toda a liberdade da fusão com o Rock acústico... Um Folk diferente a escutar...

O trabalho da banda Dança dos Homens baseia-se em temas populares tradicionais portugueses quase exclusivamente vocais, o que permite explorar sem condicionamentos as potencialidades harmónicas e orquestrais das melodias, inicialmente reduzidas à sua expressão mais simples. Combinando essas raízes musicais com uma instrumentação acústica exuberante, harmonias vocais e ritmos por vezes complexos, a formação de cinco músicos, que se distribuem por duas guitarras, bandolim, baixo acústico, cajon, flautas e harmónica, criou um estilo próprio, fruto de influências que vêm trazer novos ambientes à música folk, e surpreendem quem escuta pela primeira vez, apercebendo-se de toda a riqueza que está contida em pequenos versos e linhas melódicas, que são contudo enunciados elementares da alma do povo.

Formação
 

 José Luís Guimarães

(Guitarra Folk, Voz, flautas e harmónica)

António Simões

(Guitarra e Voz)

Paulo Peixoto

(Percurssões e Voz)

Firmino Neiva

(Baixo Acústico e Voz)

Daniel Pereira

(Bandolim e Voz) 

Ligações

Dança dos Homens  – Vésperas - Instrumental

Dança dos Homens – Senhora dos Remédios

Dança dos Homens – O que estriga tenho da roca

Dança dos Homens – Maçadeiras do meu linho

 

 

 

 

Banda Musical de Cabreiros, Associação Cultural, Musical, Artística e Recreativa

A Banda Musical de Cabreiros tomou presença no I Concurso de Bandas Filarmónicas do Distrito de Braga, realizado nos dias 6 e 7 de dezembro de 2014. Veja aqui um excerto da sua apresentação.

A Banda Musical de Cabreiros foi fundada em Janeiro de 1843 com o nome de Banda Musical de S. Miguel de Cabreiros. A sua fundação é atribuída ao Sr. João Martins Oliveir que,.além de fundador foi também regente durante vários anos.

Embora não exista qualquer documento ou testemunho sobre a sua fundação, chega-nos a através do livro de poemas históricos literários “A minha Aldeia”, do Reverendo e Monsenhor Alves da Rocha, neto do fundador, editado em 1949, no Rio de Janeiro.

Não existem registos sobre os primeiros cem anos da banda, a não ser algumas notícias de jornal sobre a sua participação em algumas festividades.

A Banda de Cabreiros viveu o seu apogeu nas décadas de 40 e 50, sendo, então dirigida pelo maestro Manuel Gonçalves e batia-se de igual para igual com muitas Bandas Militares dessa época, interpretando essencialmente obras clássicas.

Actualmente a Banda Musical de Cabreiros é composta por mais de 50 elementos, estando a sua direção artística ao cargo do Maestro Bruno Pinto.

A diversidade de idades dos músicos confere-lhe uma harmonia de ideias e uma sã convivência entre todos. A Banda tem sofrido uma evolução positiva em todos os aspetos realizando cerca de 30 atuações anuais (festas, romarias, procissões e concertos).

O futuro também está devidamente assegurado com uma Escola de Música com mais de 30 alunos de várias idades e origens.

Os alicerces são fortes, o espírito de grupo, união e gosto pela música e sobretudo pela Banda de Cabreiros, implementado pela sua equipa de professores, são o garante que esta “sementeira vai dar muitos e bons frutos”.

A Banda Musical de Cabreiros é associada da Federação Regional de Bandas Filarmónicas do Minho desde 1999, ano da fundação da Federação.

 

Maestro

Maestro Bruno PintoBruno Pinto

Bruno Manuel Correia de Sá Loureiro Pinto, nascido a 19 de Janeiro de 1981 na freguesia de Massarelos – Porto.

Iniciou os estudos musicais aos 9 anos de idade na escola de música da Banda Musical da Casa do Povo de Santa Marinha do Zêzere.

Ingressa na Banda como trompista, um ano mais tarde troca a trompa pelo Bombardino instrumento que executa atualmente.

Em 2002, ingressa no Ensino Superior no curso de Educação Musical no Instituto Piaget de Arcozelo, concluindo o mesmo em 2006.

Em 2004 Participou masterclass em Taveiro – Coimbra com o professor Sérgio Carolino.

Em 2006 foi um dos fundadores do quinteto que tinha por nome: “Zêzere Brass Quintet”.

Colaborou com diversas bandas filarmónicas como a Banda Marcial de Tarouquela e Municipal de Cinfães, Banda Juvenil de Magueija, Banda de Música de S. Vicente de Alfena, Orquestra do Grupo Musical Estrela de Argoncilhe, Banda Marcial da Foz – Filarmónica do Porto e da Sociedade Artística de Cinfães.

Trabalhou com diversos maestros onde se destacam José Augusto Ferreira, Alberto Madureira da Silva, Rafa Agulló-Albors, Carlos Melo, José I. Petit, Carlos Nunes, entre outros.

Foi maestro – adjunto da Banda Musical da Casa do Povo de Santa Marinha do Zêzere e da Banda Marcial da Foz – Filarmónica do Porto.

Em 2006/07 foi professor da Escola de Música da Casa do Povo de Santa Marinha do Zêzere.

Participou em cursos de Direção de Bandas em Santa Maria da Feira com o maestro José I. Petit e na Banda Sinfónica da Covilhã com o maestro Rafa Agulló-Albors.
Em 2007 foi maestro titular da Orquestra Ligeira da Casa do Povo de Santa Marinha do Zêzere.

Foi Diretor Artístico da Associação Banda 25 de Março – Macedo de Cavaleiros de Outubro de 2007 a Dezembro de 2010.

É Diretor Artístico da Banda Musical de Cabreiros desde Fevereiro de 2014. Frequenta o curso de Formação Continua de Maestros na Academia Portuguesa de Banda sob a orientação do Maestro Paulo Martins.

Atualmente é professor de Educação e Expressão Musical no Agrupamento de Escolas de Matosinhos.

 

Contactos

Largo do Monte das Cruzes, Nº 13
Cabreiros
4705 – 377 Braga

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

TM: 919494492

 

 

Banda Musical de Vila Verde

A Banda Musical de Vila Verde foi umas das bandas que participou no I Concurso de Bandas Filarmónicas do Distrito de Braga. Veja um excerto da sua prestação.

A Banda Musical de Vila Verde foi fundada em 31 de Outubro de 1936, por uma comissão, composta pelos senhores Aníbal Feio Soares de Azevedo, António Augusto dos Santos, Manuel de Oliveira e Abílio Silva, com a denominação de Banda dos Bombeiros Voluntários, sob a regência do Sr. Abílio Silva.

Em 1939, a Banda adquiriu uma nova dinâmica pela mão do Sr. Dr. António Ribeiro Guimarães, que passou a pertencer à direção. A Banda passou a denominar-se Banda Municipal de Vila Verde.Em 1955 a regência da Banda passou a ser feita pelo Maestro Ferreira Pais e, em 1969, a Banda é suspensa por motivos de saúde do Sr. Dr. António Ribeiro Guimarães.

Em 1972, António Fernandes Soares Marinho, José Soares da Silva Lago, Manuel Augusto e António Fernandes do Lago, criaram os Estatutos Legais e a associação passou a ser denominada Banda Marcial de Vila Verde, mas, em 1974, é suspensa por motivos de saúde do seu Maestro.

Em 1981, retoma a sua atividade com a denominação de Sociedade de Educação e Recreio Banda Musical de Vila Verde, tendo como Maestro o professor, Alexandre Fonseca, sendo este substituído pelo seu irmão Sr. Agostinho Fonseca em 1985.
Em 1991, assumiu o cargo de Maestro, o Professor, Filipe Lopes da Silva e em 1996 volta a reger a banda o Sr. Agostinho Fonseca até 2002.

A partir de 2002 assumiu a responsabilidade artística desta banda, o Sr. António Ferreira da Silva.

Em 2010 a Banda Musical de Vila Verde grava o seu primeiro trabalho discográfico “Primum”. Em janeiro do ano corrente de 2012, a convite de Sua Excelência, Presidente da Republica, Professor Aníbal Cavaco Silva, a Banda Musical de Vila Verde, desloca-se ao Palácio de Belém para tocar e cantar as Janeiras.

Atualmente, a Banda Musical de Vila Verde, é constituída por 60 músicos efetivos, na sua maioria jovens. A Direção Artística está a cargo do Professor,Óscar Emanuel Vilhena Gonçalves.


Maestro

Óscar GonçalvesÓscar Gonçalves

Nasceu em Braga em 1976.

Iniciou os seus estudos musicais aos oito anos de idade, com o avô, que fora músico militar e maestro de bandas civis. Em 1985, ingressa no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian em Braga, para o 5º ano de escolaridade, onde iniciou o Curso de Clarinete, na classe do Professor Filipe Lopes da Silva. Nesse ano concorreu para o concurso “Prémio Jovens Músicos”, obtendo uma menção honrosa.

No 6º grau do Curso de Clarinete, concorreu para as Orquestras Particulares e para a Orquestra Portuguesa da Juventude, na qual ficou selecionado para 2º clarinete. Nesse mesmo ano fez vários recitais e concertos a solo, destacando-se o que realizou no Conservatório de Saint Dinis, em Paris. Fez também vários recitais com um grupo de música de câmara do Conservatório Calouste Gulbenkian.

No 7º grau do Curso de Clarinete, participou na MasterClass do Professor Guy Dangain, tanto na classe de clarinete como na preparação de orquestra. Atuou nesse ano com a Orquestra Clássica do Distrito de Braga, sob a direção do Maestro, António de Sousa Baptista. No 8º grau do curso de clarinete, participou no III Curso de Clarinete, em Castelo Branco, tendo atuado em grupos de câmara e na Orquestra de Clarinetes sob a direção dos Professores António Saiote, Carlos Alves;Rui Martins; Luís Gomes e Nuno Silva. Estreou no Auditório Adelina Caravana, a solo com a Orquestra de Câmara do Distrito de Braga o concerto de clarinete de W.A Mozart, sob a batuta do Maestro, António de Sousa Batista.

Foi durante três anos, solista na Orquestra do Conservatório Calouste Gulbenkian, em Braga. Em 1995 foi convidado para fazer parte da Orquestra de Clarinetes " Invicta", fundada e dirigida pelo professor António Saiote. Inserido na mesma, participou na gravação dos programas televisivos “Praça da Alegria” na RTP 1, juntamente com o cantor lírico Carlos Guilherme; e no programa “Fórum Musical” da RTP 2. Nesse mesmo ano ingressa na Universidade de Aveiro em clarinete na classe do Professor Luís Silva, tendo vindo mais tarde a abandonar e a ingressar na Escola Superior de Educação do Porto na área de Educação Musical. Mais tarde conclui a Pós-Graduação em Administração e Gestão Educacional.

Em 1997, integrou, como músico efetivo, a Orquestra Clássica de Pedroso (Porto), assumindo a função de primeiro Clarinete/ Solista, trabalhando com os Maestros, Cesário Costa, Leonardo Barros, António Saiote e António Victorino de Almeida. Participou no primeiro Congresso do Clarinete, em Lisboa, com a participação do Professor Walter Boykens. Juntamente com a Orquestra de Câmara de Pedroso, gravou o seu primeiro Compact Disk.

Em 2007 participou através da Banda Filarmónica de Amares, num estágio com o Maestro, William F. Malanbri.(E.U.A)

Desde 1995 que leciona a disciplina de Educação Musical sendo já Professor do Quadro de Nomeação Definitiva. Leciona também em regime acumulativo na Academia de Música Valentim Moreira de Sá em Guimarães na classe de Formação Musical.

Colaborou com diversas bandas civis, nomeadamente, Banda Musical de Calvos, Banda Filarmónica dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, Banda Musical Cabeceirense, Sociedade Filarmónica Vizelense, Banda de Música de Aboim da Nóbrega, Banda Filarmónica de Felgueiras, Banda Filarmónica de Couto Dornelas, Banda Musical de Vila Verde, Banda de Golães - Fafe, Associação Musical de Freamunde, Banda Filarmónica de Amares, Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, entre outras.

Em 2008 assistiu o Maestro Vítor Matos em estágio, com a Orquestra do Conservatório de Música em Kaiserslautern - Alemanha.

Tem trabalhado com os mais variados Maestros e Professores, quer em Direção Artística, quer em Formação Musical e Instrumental, através de formações contínuas, quer em seminários, destacando os Maestros, António Victorino de Almeida, Leonardo de Barros, Altino Carvalho, Manuel Fernando Marinho, Agostinho Teixeira da Fonseca, entre outros.

Atualmente encontra-se inscrito no curso de direção de Orquestra e Banda de Música com o Maestro Navarro Lara e desempenha funções de Diretor Artístico na Banda Musical de Vila Verde.

 

Contactos

Avenida Prof. Machado Vilela
4730 – 721 Vila Verde

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | Sítio na Web: http://www.bandafilarmonica.pt/bandavilaverde

Telef: 253324843 | TM: 962349789

 

Lilian Raquel e Claúdio César Ribeiro

Lilian e ClaúdioLilian Raquel e Claúdio César Ribeiro

Bastante elogiados pela crítica portuguesa e por artistas de renome internacional como Ivan Lins, Rosa Passos ou Alceu Valença, entre outros, estes dois brasileiros de nacionalidade portuguesa, eram mentores do Grupo “Amarelo Manga” , que editou o seu primeiro disco em 2009. Agora, resolveram fazer um trabalho em nome próprio, através da editora Numérica e que conta com a participação do cantor e compositor brasileiro Ivan Lins.

Radicados em Portugal há 14 anos, Lilian, no Brasil gravava jingles musicais de publicidade e fazia coros em vários discos de artistas como Alceu Valença, André Rio, Dominguinhos, Novinho da Paraíba, Naná Vasconcelos entre outros. Percorrendo, inclusive, em digressão pelo Brasil com o próprio Naná Vasconcelos. Em Portugal, trabalhou vários anos como cantora residente no Casino da Póvoa, fez coros com o grupo português “ GNR”, deu a sua voz à segunda edição do disco de música Pop em bossa nova , “Bossa Nossa “ editado pela Sony Music.

Lilian e Claúdio em palcoCláudio,conhecido como “ Cláudio Munheca” no Brasil tinha a banda “ Capitão Severo”, tocou com vários artistas, entre eles, André Rio, Elba Ramalho, Lula Queiroga, Lula Cortes, Maestro Spok, entre outros.

Em Portugal participou de discos de artistas como Cármen Souza,  Luísa Sobral, Maria João (famosa cantora portuguesa de jazz), Classificados, Ivan Lins e participou de concertos com  artistas como Carlos do Carmo e Paulo de Carvalho.

Também trabalha com produções discográficas, entre elas “ Bossa Nossa”, Snail, Jorge Goes, André Sarbib, Amarelo Manga , entre outros.

Atualmente, tem o seu trabalho de instrumentais originais em nome próprio, faz concertos em nome do grupo Lilian Raquel e Cláudio César e acompanha o cantor brasileiro Ivan Lins em digressões pela Europa.

Ligações

Lilian e Claúdio - "Letras de Canções"

facebook.com/lilianraqueleclaudiocesarribeiro

Apoios Bobina Studio

Facebook Música e Músicos
Canal Youtube - Música e Músicos